quinta-feira, 22 de julho de 2010

Sobre pais que valem a pena...

Atenção: tem fantasma na pediatria!

Conhecemos a linda garota Bibi, que estava acompanhada de seu pai. Bibi é um pouco tímida e toda vez que a encontrávamos ela estava numa cama diferente. E isso já era motivo para especularmos se ela tinha pago as contas ou foi caso de despejo mesmo.

De repente, coisas estranhas aconteceram quando estávamos perto da Bibi e seu pai. Estávamos nós três, a Dra.Tan Tan, o Dr.Ado e eu, Dr. Marciano, atendendo a Bibi quando subitamente aparece um fantasma neste quarto. Claro que nós três, todos frouxos, morremos de medo. Fomos nos esconder no banheiro, mas não adiantou, o Gasparzinho atravessa as paredes e cá estava no banheiro nos assustando novamente e corremos feito três mulas desgovernadas sem rumo.

Outro dia, outro encontro e de novo o fantasma, eu até tentei me disfarçar de fantasma, já que eu tenho um bronze de tapioca, mas que nada, ele botou a gente pra correr!

Outro encontro, mais peripécias com o fantasma e era falar no dito cujo, que a alma aparecia. Já sabíamos que era o pai da Bibi desde o início, pois era fascinante a alegria dele quando se transformava em fantasma com um lençol cobrindo a cabeça e o corpo. Se brincar, ele era mais criança que a Bibi e todos nós! Quando chegávamos ao quarto ele já botava o lençol no colo se preparando e na primeira oportunidade ele se transformava para entrar em ação. Ele se divertia muito junto com todos da enfermaria e nós.

E foi assim por vários encontros. Ele, um grande parceiro em nosso ofício. Uma ponte forte e segura entre nós (besteirologistas) e a tímida Bibi. Viva os pais, mães, enfermeiras, médicos e funcionários que são tão bobos quanto nós!

Dr. Ado (Arilson Lopes)

Dr. Marciano (Márcio Carneiro)

Dra. Tan Tan (Tâmara Lima)

In:http://www.doutoresdaalegria.com.br/blog/?p=195

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Slava Snowshow no Brasil.

Slava's Snowshow retorna com seus efeitos especiais para curta temporada

PATRÍCIA TRUDES DA VEIGA
EDITORA DA FOLHINHA

A premiada trupe de palhaços dirigida pelo coreógrafo russo Slava Polunin --criador dos espetáculos "Snowshow" e "Diabolo", além de vários outros números para o Cirque Du Soleil-- retorna ao Brasil para uma curta temporada em São Paulo (de 14 a 29 de julho), no Rio (1 a 5 de agosto) e em Porto Alegre (9 a 13 de agosto), e promete um espetáculo cheio de magia e efeitos especiais para encher os olhos de crianças (maiores de oito anos) e adultos.

"Slava's Snowshow" usa objetos simples --como água, luzes, teias de aranha de algodão, bolhas, bolas e gelo seco-- e a teatralidade dos palhaços para criar um espetáculo único. "É a beleza de um floco de neve que gentilmente cai pela plateia e o som de um adulto rindo incontrolavelmente de nada em particular", descreve o coreógrafo.




Slava's Snowshow
"Slava's Snowshow" é um espetáculo cheio de magia e efeitos especiais para encher os olhos

PARA CONFERIR
Em São Paulo
Onde: Citibank Hall (av. Jamaris, 213, Moema, São Paulo; tel. 0/xx/11/4003-5588)
Quando: 14 a 29 de julho; terça, quarta e quinta-feira às 21h30; sexta-feira às 22h; sábado às 17h e 22h; domingo às 16h e 20h
Quanto: de R$ 45 a R$ 170
Duração do espetáculo: 1h20 (com intervalo)
Classificação etária: não será permitida a entrada de menores de oito anos

No Rio (ainda não divulgado)

Em Porto Alegre
Onde: Teatro do Sesi (av. Assis Brasil, 8.787, Porto Alegre; tel. 0/xx/51/4003-5588)
Quando: 9 a 13 de agosto, 21h
Quanto: de R$ 50 a R$ 140
Duração do espetáculo: 1h20 (com intervalo)
Classificação etária: não será permitida a entrada de menores de oito anos

In: http://www1.folha.uol.com.br/folhinha/748264-slavas-snowshow-retorna-com-seus-efeitos-especiais-para-curta-temporada.shtml

quinta-feira, 8 de julho de 2010

quarta-feira, 7 de julho de 2010

KGB Clowns

Clown: o poeta em sendo...


Na Rússia.


Ser Clown no es solamente componer un personaje teatral o circense, ni ser autor de tu espectáculo, es ser poeta, no hacer poesía, sino ser la poesía, un acto poético, un camino, una elección única y para siempre, algo que marca, hasta el limite de lo desconocido.
Gabriel Chamé Buendia